Alongamento no Ballet

Olá, tudo bem? Hoje falo aqui no blog sobre um assunto que assusta muitos alunos: o Alongamento!

Acho que o alongamento é uma das minhas partes favoritas da aula de ballet, porque a cada aula percebemos nossa evolução e melhora na flexibilidade. E tudo isso reflete de forma significativa nos exercícios executados!

Mas afinal, quais são os benefícios do alongamento?

1- Melhora da postura, reduzindo dores nos ombros e lombares causadas pela má postura;

2- Aumento da flexibilidade e consequentemente promove a melhora da execução de movimentos amplos;

3- Aumento de fluxo sanguíneo nos músculos, reduzindo assim os riscos de lesões musculares;

4- Relaxamento: aliviando tensões musculares e estresse.

5- Aperfeiçoamento motor: Quanto maior a flexibilidade, maior a facilidade de execução de movimentos que sem alongamento não seriam possíveis de serem realizados.

Conheça um pouco sobre alguns tipos de alongamento:

1- Estático – Este é o alongamento mais comum e é realizado em repouso. Neste caso, em determinada posição, alonga-se o músculo e permanece de 20 a 30 segundos. Mais do que isso, o esforço do alongamento torna-se desnecessário, uma vez que a musculatura se relaxa e prejudica na produção de força rápida.

2- Dinâmico: Neste tipo de alongamento, o aluno alonga por impulso, aumentando a mobilidade das articulações amplitude no movimento. Este tipo de alongamento deve ser feito depois de um período inicial de aquecimento.

3- Passivo: O alongamento é realizado por meio de uma força externa. São usadas faixas elásticas, bola suíça ou algum tipo de aparelho. O controle deste alongamento vem da ação externa, por isso é muito importante saber o limite do seu corpo para realizar esse tipo de alongamento.

4- Facilitação neuromuscular proprioceptiva: O nome é um pouco complicado, mas neste tipo de alongamento é realizada uma combinação de atividades para melhora do desempenho muscular. Neste caso, o aluno realiza um exercício de alongamento passivo por aproximadamente 30 segundos e depois, o aluno realiza uma força contrária ao do praticante em seu ângulo inicial. Lembrando que este tipo de exercício deve ser feito sob supervisão de um profissional da área.

O alongamento é sem dúvida, essencial para os bailarinos. Ele vai trabalhar a flexibilidade e força muscular. Porém, é importante frisar que o aluno deve sempre respeitar seus próprios limites e ser realizado de forma gradativa, para evitar lesões e dores desnecessárias.

Como fazer?

É muito importante se aquecer antes de começar o alongamento, use roupas confortáveis e que permitam amplitude de movimento e pense muito em sua respiração! A respiração e a palavra-chave para um bom alongamento. Quando respiramos profundamente, aumenta-se o relaxamento muscular. Sempre digo para os alunos durante a prática para alinhar a respiração com o movimento executado, pensando sempre na respiração diafragmática. Respirar de forma correta reduz a tensão nos músculos respiratórios e promove sensação de relaxamento.

Eu gosto muito da prática de alongamento estático, e começo sempre alongando músculos superiores e vou descendo trabalhando cada parte com exercícios de alongamento específico.

Atente-se sempre ao seu limite! Forçar sua musculatura só vai gerar dores e possíveis lesões!

A prática do alongamento para ser efetiva, deve ser frequente! Realizar estes exercícios durante todas as aulas, te ajudará a manter sua flexibilidade e força. Você também pode tentar inserir algumas práticas simples de alongamento à sua rotina. Pode melhorar sua postura, relaxar sua musculatura prevenindo dores.

Aqui abaixo você pode conferir um video bem legal com alguns exercícios de alongamento aptos para bailarinos:

Este video tem exercícios bem bacanas, dos mais simples aos mais avançados!

Agora me fala, você gosta de fazer alongamento?

Quer ver algum conteúdo aqui no blog? Me mana mensagem e me deixa sua sugestão!

Beijos,

Mariana Prieto

fonte:
Área de treino / Minha vida